sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

coração de balão


O silêncio era o melhor tema de conversa simulado entre nós. Embrulhávamo-nos em trancas e fechaduras e das nossas bocas soltavam-se breves expressões pouco simbólicas.
Nunca te disse que o meu coração é uma espécie de balão ou caixa-de-ar ou nada em tons de púrpura e oco. Falseavas não ouvir, obstruindo os ouvidos com papelão. Aqui dentro, as coisas não aguentavam mais que sumárias décimas de segundo: entravam e saíam como se de sinapses briosas se tratassem. Pareciam uma dança: bonita por sinal. Parecia que fugiam do meu prezado mostrengo: pobre coitado do mostrengo. Eu que o guardo com tanta estima, eles que fogem dele a sete pés. É feio o raio do bicho? Sim, é provável.

7 comentários:

Qel disse...

«O silêncio era o melhor tema de conversa simulado entre nós».

Não podias ter começado com melhor frase. Gostei mesmo deste, acho q tem uma escrita muito bem conseguida (:
Um beijinho *

Mintolita disse...

Faz-me lembrar tu, eu e o silêncio, nosso cúmplice.
=')

as velas ardem ate ao fim disse...

Eu sou uma fanatica por um silnecio consentido!

um bjo

Maria disse...

[]

Maria disse...

Sinto-me, também, um bocadinho aí.

Marta Dantas disse...

Morri.

Maria Miguel disse...

Adoro a forma como escreves!
Parabéns! (: