quinta-feira, 24 de setembro de 2009


Já sabia que era uma peúga cheia de buracos e que era o teu entretém nos dias do sofá. A minha cara fazia parte do teu segundo plano da parede. Afixavas-me lá no alto com cuspo e cola adesiva, junto ao quadro da tua tia-avó que nunca chegaste a conhecer.
A única coisa tua que tocava em mim eram os teus olhos; ora cor da chuva, ora tons de mel, eles tocavam em mim em curtas investidas, e eu, encavacada, nem sabia o que fazer nem como estar (se bem que não tinha grandes alternativas se não estar esburacada e tesa que nem uma pedra sem coração).
Mas isso, era dantes. Hoje estou em saldos. Não me perguntes porquê; eu também não sei, mas sei que estou.

11 comentários:

Mariana Henriques disse...

"Hoje estou em saldos. Não me perguntes porquê; eu também não sei, mas sei que estou".

Parabéns por todas estas palavras repletas de um estouvamento delicioso.

(Sou amiga da Raquel. Em conversa ela falou-me no teu blog. E considero-me já uma cliente assídua =)).

Poppins disse...

Já te disse que escreves super bem?

[] Cê.

Zita disse...

Estás em saldos, dizes, mas eu pago-te pelo preço inicial: uma quantia exurbitante. E para que haveria de pagar tamanho montante para depois te colar com cuspo? Só cola super-3.

Love you*

matilde disse...

"Mas isso, era dantes. Hoje estou em saldos. Não me perguntes porquê; eu também não sei, mas sei que estou."

Estou apaixonada pelo aquilo que escreves (:

Marilena' disse...

está lindo !
"Hoje estou em saldos" eu estou ha 3 meses :|

m. disse...

adorei o texto o:

(depende , há portas que por vezes valem a pena serem abertas , ou pelo menos , pensamos nós que sim)

Afonso disse...

Adorei mesmo :D

Mara disse...

É horrível quando nos descartam.
Não somos objectos.

P' disse...

O teu geito para escrever está cada vez melhor.

Como gosto de ler-te.

as velas ardem ate ao fim disse...

Eu pago o dobro para te ler!

um bjo

J' disse...

Tu não tens preço.