domingo, 22 de fevereiro de 2009

Monstros e Cia.


Eu dizia sucessivamente que tinha medo dos monstros que multiplicavam por mil debaixo da minha cama. Foram muitas as vezes que fiquei sem fôlego de tanto gritar e chorar e soluçar: parecia mesmo um disco riscado. Tu fazias a tua parte: fazias-me carícias que me agasalhavam e sempre que eu queria ir dormir tu seguravas-me pelos meus esqueléticos mas robustos braços e levavas-me a voar até à cama. Às vezes, julgava-te mesmo um anjo (ou dois, até).
Mas isto era antes. Agora, se quero ir para a cama tenho que usar o meu trampolim velho que já está quase a entrar na reforma. Já adivinho, sem ver, os buracos que ele tem de tanto uso que lhe dei.

14 comentários:

Jo. disse...

Os teus post são sempre uma maravilha (ou duas, até).


:')

Beatriz Cró disse...

Tu é que és três anjos.

Gabriela Coutinho disse...

Gostei, realmente há medos que nossos pais não podem mais nos salvar e nós temos de encara-los sozinhos.
Passa no meu blog depois.

Eli disse...

Muito bonito mesmo. Nunca fui pessoa de muitos medos, apesar de os ter, mas os nossos pais são sempre os nossos anjos. Seja quando éramos pequeninos, seja agora, seja quando tivermos 50 anos.

SaraPereira. disse...

Os teus textos são, sempre, soberbos.

Davi(d) disse...

Adorei. como disseram: textos maravilhosos e soberbos. ;)
beijinho

as velas ardem ate ao fim disse...

Eu acho que já nao precisas do trapolim.Deita o fora e verás!

um bjo

Aubergine. disse...

Como sempre, optimo *

as velas ardem ate ao fim disse...

Bjo e boa semana

V disse...

acho que é a primeira vez que por aqui passo e já fiquei fã :)

Arte e Criação disse...

Olá!

Chamo-me Daniela e gostava de apresentar o meu blog com peças feitas por mim.

www.art-and-creation.blogspot.com

Muito obrigada! =)

Marta Dantas disse...

Vou ficar em coimbra...

Apaga o comentário..


Como estás ?

Beijos

P. disse...

Um dia o trampolim velho deixará de ser preciso.

as velas ardem ate ao fim disse...

Saudades de ti!
Estas bem?'

bjo e boa semana