quarta-feira, 16 de junho de 2010


Existe o amor. Aquele que dizem não ter fim, ser infinitamente doce e quente. Dizem também que aquilo que o Amor une não deve o homem, “bicho da terra tão pequeno” (pegando no meu estudo fatigante d’Os Lusíadas para o meu tão ansioso exame de Português), separar.

Ditados populares ou frases feitas, hoje pergunto-te se não existirão vários tipos de amor e se este que nos une poderá encher também o saco do “amor. Aquele que dizem não ter fim, ser infinitamente doce e quente.” ou se será outro amor, ou se, tristemente, não será mais amor e não passará de uma névoa nas nossas cabeças de coração. Gostava de ter tido a certeza de que nos amamos, sem “se”s nem “mas” nem qualquer outro tipo de conjunção ou locução.

Ainda assim, agradeço por seres uma fonte daquilo que mais me preenche. (…)

com amor, de mim para ti.

8 comentários:

Margarida C' disse...

Sim, a verdade é essa, existem vários tipos de amor. Amor de todas as formas, feitios e cores. Gostei muito :)
Beijinho

Poetic GIRL disse...

Que lindo um amor assim, mesmo sem prazos, sem estigmas... nenhum amor é igual ao outro, todos são únicos... bjs

Marta Rosa disse...

O amor, é a melhor coisa do mundo!

marta. disse...

Apesar de tudo, eu gosto do amor!

Mara disse...

Vais sempre directa à questão de uma forma linda :)

buu disse...

tão bonito matilde :)

Vicente disse...

Gosto de ti []

Eli disse...

Pintei com aquele verniz que tinha na fotografia. Também abumino preto. É a unica cor que me recuso a usar...