quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

home sweet home


Ontem fizeste a pergunta mais infantil. Eu sempre gostaria de a ter feito a muitas pessoas; por vergonha ou outra razão qualquer (que não interessa agora), não fiz. Ficou-me sempre cravada na alma, como se tivesse fosse um ponto de interrogação sem vogais nem consoantes. Talvez por isso hoje faça perguntas demais e a mais. Acho que regredi e voltei à “idade dos porquês”. Sim, deve ser isso.
Ontem fizeste a pergunta mais infantil:
Quem é o teu melhor amigo? Ou será que devia dizer, melhor amiga?
Respondi. Não te ia deixar plantado como as flores que tens no jardim que já morrem de sede. Todas as crianças merecem uma resposta, por muito grotesca que seja.
A minha melhor amiga é a minha casa.
E o que seria de uma pergunta sem uma pergunta adicional? Devolvi-te, portanto, uma pergunta: também tens uma melhor amiga?
Como não sou nenhuma criança que faz questões infantis, achas-te que não merecia resposta. Achaste bem.

12 comentários:

Poppins disse...

E tu és linda. []

Margarida disse...

que resposta ;)

Mara disse...

Adoro ler-te (acho que já to disse, mas tenho o hábito de repetir coisas que me agradam)

beijinho*

Zita disse...

O meu melhor amigo é silêncio.

Cláudia disse...

Grande texto. Grande resposta.
ADOREI!

Marilena' disse...

Gostei *

Sofia Morrison disse...

obrigada :)
eu adoro este blogue, adoro mesmo!

Davie disse...

é pena que me reveja nesta situação, mas o que é que se há-de fazer?

Joanita disse...

Não há nada melhor que a nossa casa *.*

- Fantástico.

as velas ardem ate ao fim disse...

Recusemos a ideia do Pai Natal em que os desejos caem do Céu.

Ousemos acreditar no Pai Natal como ideia de esperança e confiança sem limites.


Feliz Natal!

Davie disse...

Faz. Identifico-me com algumas canções dela, por incrível.

débora miriam disse...

adorei , adorei, adorei!